A Garganta da Serpente
  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

CAVALGADURA

sim,
olhos de marfim
órbitas de sodalita
perfuram,insólitos

o mole centro
do abdômen
dentro do homem
saturam

sala vazia de órgãos
vãos órfãos azia
amálgama
escura

cavalo
que cavalga
a alma
dura


(Marcilio Medeiros)


voltar última atualização: 23/05/2017
4435 visitas desde 18/01/2008

Poemas deste autor:

Copyright © 1999-2017 - A Garganta da Serpente