A Garganta da Serpente

Ariella Medeiros

  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

Ao meu avô Marcelo

Alguns dizem que ele se foi,
porque não escutamos mais sua respiração e
nossos olhos não podem mais vê-lo.
Eu digo que ele continua aqui. Nos acolhendo,
nos amando e se fazendo presente, como ele sempre foi...
agora, de uma forma diferente.
Ele vive em nossas lembranças,
em nossos sentimentos, em nossos corações.
Ele nunca morreu, ele sobrevive, aqui dentro de nós.
TE AMAREI PARA SEMPRE.


(Ariella Medeiros)


voltar última atualização: 08/10/2007
10359 visitas desde 01/07/2005
Copyright © 1999-2017 - A Garganta da Serpente