A Garganta da Serpente

Antenor Rosalino

  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

Luar Ausente

Hoje a noite não tem luar.
Na primícia do anoitecer,
a lua abraçou as estrelas
num grande espreguiçamento mudo...
E levando-as consigo, partiu,
deixando fria lacuna
na negra noite do mundo!

O vento nos quatro cantos,
perdeu seu doce frescor,
já não quer trazer dos campos,
o suave aroma da flor!

Daquele céu cambiante,
onde as estrelas brincavam
em radiante esplendor,
somente as falenas voam
e os zumbis ziguezagueiam,
enquanto as cicatrizes trazem
de volta esquecidas dores.


(Antenor Rosalino)


voltar última atualização: 06/05/2010
3765 visitas desde 06/10/2008

Poemas deste autor:

Copyright © 1999-2017 - A Garganta da Serpente