A Garganta da Serpente

Adelaide Amorim

  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

trama

às vezes o chão da noite seca o sono
e a madrugada joga sua trama
apreensiva
de nuvens e abandono
por sobre o mundo
que deita em nossa cama


(Adelaide Amorim)


voltar última atualização: 26/08/2007
14653 visitas desde 01/07/2005

Poemas desta autora:

Copyright © 1999-2017 - A Garganta da Serpente