A Garganta da Serpente
Resenhas dos Répteis releases, resenhas e críticas
Texto de:

Divulgação

  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

Novo livro de Wagner Mangueira

Tudo demais na atualidade, Enquanto o lobo não vem e Memória são as três novelas que compõem o novo livro de Wagner Mangueira, o quarto de sua carreira. Estreou em 2001 com A gaveta, depois vieram Vamos passear na floresta? e Prata.

Com uma prosa consistente, densa e segura de si, Wagner Mangueira vem adentrando aos poucos a cena literária brasileira. Pegadas existencialistas, linguagem febril e eletrizante, experimentalismos, enfim, todos os elementos dos livros anteriores foram aprofundados em Memória.

Em Tudo demais na atualidade, os personagens vão surgindo e explicitando o que simbolizam: Vaidade, Tempo, Leveza... Prosa livre e original, um convite para o leitor mergulhar nos mistérios da condição humana.

Enquanto o lobo não vem é uma fábula moderna repleta de personagens oníricos: Homem-Fios, Mulher-Bunda, Homem-Raiz, Mulher-Véus... Todos vivem numa aldeia bem distante da velocidade do nosso tempo.

Em Memória, o autor divide-se em dois personagens para livrar-se do monólogo.

Eles tentam a todo custo começar a história. Novela-colagem composta de vários gêneros literários: todos úteis para o meio ou para o fim, jamais para o começo da história. Um jogo repleto de tentativas.

É preciso que cada um crie sua própria estratégia de leitura para absorver todas as sutilezas de Memória.


Sobre o autor:
Wagner Mangueira nasceu em Marília (SP) em 1965, onde vive. Dos 18 aos 35 anos morou em São Paulo (SP), onde formou-se em Arte Dramática no INDAC – Instituto de Arte e Ciência (1985), trabalhou na biblioteca da Eletropaulo (1987/1995) e participou de oficina literária ministrada pelo escritor Caio Fernando Abreu nas Oficinas Culturais Oswald de Andrade (1989). Em 1980 foi premiado pela Academia Mariliense de Letras com o texto teatral infantil O bruxo é um palhaço. É autor de A gaveta (2001), (2003), Vamos passear na floresta? (2003) e Prata (2004).

“WM é analítico, de linguagem levemente rebuscada, herdeiro de uma geração cujo mestre atendia pelo nome de Caio Fernando Abreu”.
ANDRÉ SEFFRIN, crítico literário

“WM é visceral. Há uma vontade de se olhar por dentro, uma inquietude de autodissecação, que é às vezes engraçada, mas, no fundo, intensa e um pouco desesperada”.
CONTARDO CALLIGARIS, psicanalista

“WM tem um invejável domínio da palavra e uma grande capacidade de construir uma história”.
MOACYR SCLIAR, escritor

“Wagner tem uma escrita que intriga, interessa, prende”.
RENATA PALLOTTINI, poeta


Memória
Autor: Wagner Mangueira
Editora Ugrino
140 páginas
Ano: 2007
Valor: R$ 30 (frete incluso)
Venda Exclusiva pelo e-mail: abanbuco@uol.com.br

273 visitas desde 25/04/2017


Quer outra dica de livro?