A Garganta da Serpente
Resenhas dos Répteis releases, resenhas e críticas
Texto de:
  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

Jaboc

O poeta Otto Leopoldo Winck (1967) doutorando de Letras pela UFPR, onde estuda a construção de identidades por meio de narrativas debuta no romance com o seu Jaboc (Garamond, 332 pp, R$ 36)

A estrutura do livro se compõe basicamente de um romance sobre outro romance, onde um escritor cria ou tenta criar um texto sobre o mundo fútil de literatos acadêmicos e intelectuais de boteco. Um livro que o próprio autor estrutura como uma obra sobre a outra: "um livro sobre um livro, o romance de um romance".

Com uma narrativa perspicaz, o autor imagina prosa e poesia em tons psicológicos e filosóficos na construção do romance de seu personagem, um professor universitário, 'intoxicado' de literatura que narra as dificuldades e os impulsos da montagem de seu primeiro livro. Descortina-se, no romance, o grau de leitura que o protagonista possui, a cada capitulo. Fernando Pessoa, Aristófanes, Petrarca, Zola, Moacyr Scliar, Cecília Meireles, Albert Camus entre outros se excursionam nas páginas desse livro.

Jaboc ganhou o Premio Nacional ALB, da Academia de Letras da Bahia em 2006. A premiação era ter sua obra editada e publicada pela editora Garamond. Wink trabalho quatro anos no livro e teve que esperar mais dois anos para tê-lo nas mãos.

Um livro diálogo, cujo cenário é Curitiba, terra que acolheu o autor, e cujo personagem, o professor de 35 anos (o qual o nome não é revelado) se aflige de sua meia idade em produzir o seu primeiro livro. Fã de Fernando Pessoa, o personagem se apaixona por uma de suas alunas, Virgínia, e procura contornar as frustrações em bares da cidade. Os outros personagens de Jaboc são paralelos ao mundo real, críticos e professores de literatura, escritores desiludidos e de sucesso, renomados ou não, todos transparecem seus idéias e filosofias em discussões diversas que preconiza numa atmosfera irônica de reconhecimento daqueles inúteis debates.

Wink consegue constrói junto com sua narrativa, diversas citações, passando das mil citações diretas e indiretas, parodiando a atual literatura.O próprio titulo é uma metáfora referente a uma região palestina, um livro planejado da capa a contra-capa, no melhor estilo de outros autores contemporâneos, como Wallace e Danielewski que exploram as variáveis formas de romance.

Um romance cerebral, ao mesmo tempo convencional e inovador. O autor nos mostra a ligação entre um livro e qualquer outro, todos são ligados e possuem um dialogo pré-estabelecido. Jaboc reflete a atual sociedade e o próprio uso atual da literatura.

"Nada se cria, tudo se copia" Vale conferir.


Jaboc
Autor: Otto Leopoldo Winck
Editora Garamond
332 páginas
Ano: 2007

363 visitas desde 27/04/2017


Quer outra dica de livro?