A Garganta da Serpente
Encantadores de Serpentes concursos e prêmios literários
  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

XXVI Jogos Florais do Algarve

POESIA LÍRICA

1º Prémio: “Quero” – Glória Marreiros – Portimão
2º Prémio: “Mas nunca me digas adeus” – Maria Cecília Sobral Santos Franco de Sousa – Lisboa
3º Prémio: “...Mas nada será na vida...” – Maria Cecília Sobral Santos Franco de Sousa – Lisboa

Menções Honrosas:
“Solidão” – António Marques Crispim – A-dos-Cunhados
“O abraço” – Clarisse Barata Neves Sanches – Góis
“Triste!...” – Emília Peñalba de Almeida Esteves – Porto
“Simbolismo” – Estela Duarte Estanislau Pacheco de Oliveira – Faro
“O meu relógio de sala” – Francisca Duarte Cruz – Portimão
“A voz do Outono” – Glória Marreiros – Portimão
“Quem pode, Algarve, negar?” – Joaquim da Conceição Barão Rato – Beja
“O pó da saudade” – José António Palma Rodrigues – Aljubarrota (Prazeres)
“Recorrência” – Lilian Gattaz – São Paulo – Brasil ler poemas na Toca da Serpente
“Cada dia que passa” – Maria Aliete V. Cavaco Penha – Faro
“Palavras” – Maria Celeste Salgueiro Seabra – Aveiro
“Destino de Sol-Pôr” – Maria Fatal Canteiro – Lisboa
“Eternamente escravo” – Maria Fatal Canteiro – Lisboa
“Longa caminhada” – Orlando da Fonseca Fernandes – Lisboa


SONETO
Tema obrigatório: Jornalista

1º Prémio: “Jornal de Província” – José António Palma Rodrigues – Aljubarrota (Prazeres)
2º Prémio ex-aequo: “Missão” – Glória Marreiros – Portimão
2º Prémio ex-aequo: “A Verdade e a Liberdade” – José António Palma Rodrigues – Aljubarrota (Prazeres)
3º Prémio: “Sedução” – José António Palma Rodrigues – Aljubarrota (Prazeres)

Menções Honrosas:
“O Dono do Mundo” – Emília Peñalba de Almeida Esteves – Porto
“Lembram Caravelas...” – Glória Marreiros – Portimão
“Poeta da notícia” – Glória Marreiros – Portimão
“Profissão” – Glória Marreiros – Portimão
“Jornalista” – João Baptista Coelho – S. Domingos de Rana
“Tu tens que dar a nova...” – Joaquim da Conceição Barão Rato – Beja
“Correspondente de Guerra” – José António Palma Rodrigues – Aljubarrota (Prazeres)
“Jornalista por vocação” – Maria Aliete V. Cavaco Penha – Faro
“Jornalista é ser mais” – Maria Cecília Sobral Santos Franco de Sousa – Lisboa
“Ser Jornalista” – Maria Celeste Salgueiro Seabra – Aveiro
“Sonho perdido” – Maria José Alves Pereira da Silva – Paredes


QUADRA POPULAR COM TROCADILHO
Rima ABAB

1º Prémio: “Pedi ao Senhor dos Passos,” – Maria Fatal Canteiro – Lisboa
2º Prémio ex-aequo: “De partir, não sou capaz,” – Maria Fatal Canteiro – Lisboa
2º Prémio ex-aequo: “Nunca na vida fez nada,” – Orlando da Fonseca Fernandes – Lisboa
3º Prémio ex-aequo: “Amigo que leva em conta” – Ernesto Lopes Nunes – Coimbra
3º Prémio ex-aequo: “Diziam que ele era um forte,” – Maria Thereza Cavalheiro – São Paulo – Brasil

Menções Honrosas:
“Das sombras que a vida trouxe” – António Isidoro Viegas Cavaco – Faro
“Pela paz fazem a guerra” – António Isidoro Viegas Cavaco – Faro
“Sempre p’ra trás e p’ra frente...” – Eduardo Pires Maximino – Alcácer do Sal
“O saber não faz sentido” – Ernesto Lopes Nunes – Coimbra
“Coisa assim nunca se viu:” – Fernando Máximo – Avis
“Por acaso pouco importa,” – Fernando Máximo – Avis
“Vou-lhes contar um segredo” – Fernando Máximo – Avis
“Quem na vida se engrandeça” – João Baptista Coelho – S. Domingos de Rana
“Dos Sexos essa igualdade” – João Fernando Antunes Serrano – Amadora
“Na vida actual, a eito,” – Maria Amélia Pinto de Carvalho e Almeida – Lisboa
“O encanto em que nos mantém” – Maria Amélia Pinto de Carvalho e Almeida – Lisboa
“Tanta vez foi ela à rua” – Maria Celeste Salgueiro Seabra – Aveiro
“Levei tempo a procurar” – Maria Fatal Canteiro – Lisboa
“Não cria no teu paleio...” – Maria Fatal Canteiro – Lisboa
“Vi-te em criança, a dar voltas” – Maria Fatal Canteiro – Lisboa


SEXTILHAS HUMORÍSTICAS
(Rima AABCCB)

1º Prémio: “Perante grande assistência,” – João Fernando Antunes Serrano – Amadora
2º Prémio ex-aequo: “Eu nunca fui militar” – Abílio de Andrade Carneiro – Lisboa
2º Prémio ex-aequo: “P’ra espanto do Meritíssimo” – Eduardo Pires Maximino – Alcácer do Sal
3º Prémio ex-aequo: “O Rigor da moda” – Clarisse Barata das Neves Sanches – Góis
3º Prémio ex-aequo: “Tem levado a vida inteira” – Ernesto Silva – Aljezur
3º Prémio ex-aequo: “Era um exímio ladrão” – Orlando da Fonseca Fernandes – Lisboa

Menções Honrosas:
“Por cabelo já não ter” – António Isidoro Viegas Cavaco – Faro
“Há dias um avozinho,” – Eduardo Pires Maximino – Alcácer do Sal
“Estando na cama deitado,” – Ernesto Lopes Nunes – Coimbra
“Disse um dia ao meu Doutor” – Fernando Máximo – Avis
“Perguntei ao meu netinho” – Fernando Máximo – Avis
“Descartabilismo” – Francisca Duarte Cruz – Portimão
“O pintor com a idade” – João Fernando Antunes Serrano – Amadora
“Sem temer os desenganos,” – João Fernando Antunes Serrano – Amadora
“Bebedeira impecável” – Joaquim da Conceição Barão Rato – Beja
“Jogatanas...” – Maria Amélia Pinto de Carvalho e Almeida – Lisboa
“Desigualdades” – Maria Fatal Canteiro – Lisboa
“Sinfonia incompleta” – Maria Fatal Canteiro – Lisboa
“Diz o marido ao morrer,” – Maria José Alves Pereira da Silva – Paredes
“Simplex... P’ra quê?!” – Maria José Rosa Varela – Portimão
“Nada é como foi antes,” – Mário Graça – Palmela
“Gabava-se a D. Marta” – Orlando da Fonseca Fernandes – Lisboa


CONTO LIVRE:

1º Prémio: “Raízes” – Pedro Ventura – Barreiro
2º Prémio: “Ainda há sobreiros” – Paulo Jorge Gomes Bragança – Alverangel (Tomar)
3º Prémio ex-aequo: “As Mulheres Daquela Casa” – Marlene Correia Ferraz – Darque (Viana do Castelo)
3º Prémio ex-aequo: “Jasmim” – Lurdes Breda – Liceia (Montemor-o-Velho)

Menções Honrosas:
“Epístolas” – Alexandru Solomon – São Paulo – Brasil
“E se formos aqueles velhinhos” – Bernardo Rão Vieira – Lisboa
“Gaivotas” – Diana Maria da Silva Felizardo – Águas Santas
“Uma Mulher” – João Manuel Rodrigues Saraiva – Lavradio
“Quem quer escrever um conto?” – Joaquim da Conceição Barão Rato – Beja
“Patilhas-e-Ventoinha” – Célia Maria Conceição C. Pereira – Odivelas
“A princesa Paz” – Maria de Lurdes Ota Pires de Aguiar Trilho – Almada
“Lobos da mata” – Paulo Jorge Gomes Bragança – Alverangel (Tomar)
“Clone Fantasma” – Raymundo Silveira – Ceará – Brasil ler trabalhos nos Contos de Coral
“Vilma” – Terezinha Pereira – Minas Gerais – Brasil


CONTO DE TERROR

Menções Honrosas:
“Flertando com Átropos” – Alexandru Solomon – São Paulo – Brasil
“O Plano” – Dora Maria Nunes Gago – Vila Nova da Baronia
“A Morte na Figura do Diabo” – Glória Marreiros – Portimão
“Pesadelo” – Joaquim da Conceição Barão Rato – Beja
“O Andaime” – Brunno Monteiro Duarte Mourão – Brasília – Brasil


MAIS INFORMAÇÕES.:

RACAL Clube
Edifício Racal
8300-126 - SILVES - Portugal

Tel. 00351 + 282 442 587 / 282 445 816
Fax. 00351 + 282 445 818

E-mails: racal.clube@racal-clube.pt

Site: http://www.racal-clube.pt



ATENÇÃO: as informações aqui divulgadas são de inteira responsabilidade dos organizadores dos concursos. Para mais informações ou esclarecimentos, entre em contato com os mesmos. A Garganta da Serpente apenas faz a divulgação.
legenda dos ícones:
  • novo concurso
  • prazo prorrogado
  • com taxa de inscrição
  • premiação em dinheiro
  • premiação em livros/publicação
 
lista
Seja avisado sempre que a seção dos Encantadores de Serpentes for atualizada

somente texto HTML



Siga nosso Twitter:
Copyright © 1999-2017 - A Garganta da Serpente