A Garganta da Serpente
Artigos Envenenados textos sobre literatura
  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

A paixão pela crônica

(Madalena Barranco)

(Com a participação efetiva das criaturas fantásticas do blog Letras de Morango, visitar link da Madalena Barranco)

Magalena: a crônica é um gênero literário que se tornou a paixão dos blogueiros... De repente, a tela do monitor desta que lhes fala, zuniu e ficou da cor de morangos passados. Naquele momento, surgiram dois olhos cor de pântano e uma criatura fantástica de dez centímetros começou a falar:

Bruxauva: e a maioria dos blogueiros sequer sabe que suas publicações na blogosfera são geralmente crônicas!! O tal do dicionário Aurélio diz que crônicas são "narrações históricas de fatos comuns em ordem cronológica; texto jornalístico redigido de forma livre e que tem como tema fatos da atualidade, de teor político, esportivo, etc.; biografia de uma pessoa", entre outras denominações. Já, eu, resumo a "coisa" do meu jeito:

Descrever a realidade e seu cotidiano, com direito a pitadas de imaginação.

E isso foi tudo o que criatura enxerida conseguiu dizer, porque a Magalena conseguiu devolvê-la ao mundo virtual e retomou a palavra da presente crônica.

Magalena: é incrível como a crônica se alastra pela Web e se aperfeiçoa em cada blog. Alguns contam sobre suas viagens de férias, sobre seus trabalhos, seus relacionamentos afetivos e familiares, estudos e uma infinidade de assuntos, onde observa-se um toque de esperança disfarçado em fantasia. São essas histórias reais que cativam o leitor a esse novo e ao mesmo tempo antigo gênero literário. Para explicar melhor sobre o surgimento da crônica no Brasil, eu convoco Platinho, o filósofo do meu blog Letras de Morango, a seguir:

Platinho: a crônica é precursora do velho e bom folhetim, que era um romance publicado em pequenos capítulos nos jornais, geralmente nos rodapés das páginas e também em textos breves que mostravam o resumo das notícias da semana, ou então, artigos de literatura, ciências, crítica, publicados geralmente com freqüência semanal. O "folhetim" nasceu no Brasil no século XIX, influenciado pelo "feuilleton" da imprensa francesa. É provável que o folhetim, tenha se iniciado através do Jornal do Comércio, de Francisco Otaviano, com a seção intitulada "A semana" (1852-1854). O célebre escritor José de Alencar (1829-1877 - autor de "O Guarani", entre outros livros), trabalhou como folhetinista no referido jornal, onde contribuiu decisivamente para que o folhetim criasse raízes em nosso país, quando publicou sua série "Ao correr da pena".

Magalena: quem é você: um dos personagens que escrevem o cotidiano na blogosfera, ou, é um dos leitores apaixonados por crônicas?


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS.:
  • Dicionário Aurélio (Editora Positivo);
  • Ao Correr da Pena, de José de Alencar (Editora Martins Fontes - 2004)
  • 3583 visitas desde 28/03/2008
  • Publicado em: 28/03/2008
Copyright © 1999-2017 - A Garganta da Serpente