A Garganta da Serpente
Artigos Envenenados textos sobre literatura
  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

Dois escritores cariocas

(Aristides Dornas Júnior)

Machado de Assis e Lima Barreto. Dois escritores que viveram na mesma cidade, Rio de Janeiro, em tempos diferentes. Um, o primeiro, viveu sob o império. Lima Barreto viveu sob a república, nos tempos do Marechal Floriano, o marechal de ferro. E tinham temperamentos diferentes.

Machado se acomodou no modus vivendi burguês e exercendo funções de importância onde trabalhou, alçou-se ao lugar de primeiro presidente da Academia Brasileira de Letras. Nos deu Helena, Iaiá Garcia, Virgília, Capitu, como suas personagens femininas de maior relevo. Lima imortalizou a suburbana Clara dos Anjos.

Machado casou-se, Lima Barreto, não. Diante da vida monótona e confortável de Machado, a vida de Lima Barreto é trágica. Lima Barreto, vítima do alcoolismo, chegou a ser internado no hospício. Há estudos sobre isso hoje em dia. Circunstâncias diferentes em que floresceram, não os impediu de escrever suas obras. Lima Barreto vasculhou os subúrbios da ex-capital do país, Machado retratou, com seu moralismo, a vida na corte. Seus barões, banqueiros e outros personagens nos dão uma visão da vida no império.

Enquanto Machado de Assis nos dá sua língua portuguesa esmerada, Lima Barreto não se esmerou tanto quanto o outro. Machado tinha o seu emprego garantido, Lima Barreto vivia com medo de perder o seu no Ministério onde trabalhava.

Mas, os dois, de maneira diferente, cada um dentro de seu padrão existencial, nos mostraram faces da mesma cidade. João Antônio, escritor paulista e biógrafo de Lima Barreto o chama de guerrilheiro, talvez porque João Antônio tenha vivido sob o regime militar onde existiam guerrilheiros reais que se diziam protetores dos pobres. Machado de Assis foi considerado pelo escritor Mario Vargas Llosa como nosso mais ambicioso escritor. Lima Barreto é lembrado, se não é exagero de nossa parte, mais pelos autores que se identificam com ele. No entanto, Carlos Drummond de Andrade, em crônica, nos falou de ambos, e olhe-se a estatura intelectual de Drummond.

O que diferencia, com mais evidência, Machado de Lima Barreto, são os tipos retratados pelos dois, ou seja, o tipo de preocupação em que se mantinham na hora de elaborar suas obras.

  • 407 visitas desde 24/04/2017
  • Publicado em: 24/04/2017

Quer saber um pouco mais sobre os dois autores?

Lima Barreto - Prosa Seleta
Editora Nova Aguilar
1518 páginas
2002

Lima Barreto: Uma Autobiografia Literária
Organizador: Antonio Arnoni Prado
Editora 34
200 páginas
2012

Machado de Assis para Principiantes
Organizador: Marcos Bagno
Editora Ática
232 páginas
Ano: 1999

Obra Completa de Machado de Assis
Editora Global
5658 páginas
Ano: 2015

Copyright © 1999-2017 - A Garganta da Serpente