A Garganta da Serpente
Adoradores de Serpentes poemas sobre ofídios
  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

Na garganta da serpente

Eu caminho entre as cruzes embrenhadas
e no meio da névoa escura
ao longe vejo a serpente
a lança mórbida enrolada
que sem mais me diz sorridente
eis aqui vivente
tua nova morada


Sandro Kretus

Copyright © 1999-2017 - A Garganta da Serpente
http://www.gargantadaserpente.com