A Garganta da Serpente
Adoradores de Serpentes poemas sobre ofídios
  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

COMO A SERPENTE

Quero rastejar pelo teu corpo
Como a serpente rasteja pelo chão...
Fazer-te sentir a minha escama fria
Enquanto me aqueço em teu coração...

Quero enrodilhar-me, me tornar pequena,
Apenas silvando doçura ao teu ouvido...
Fazer-me sutil, não ser mais que um corpo,
Para despertar afinal, o teu sentido!

Dormindo, escutarás o meu chocalho
E despertarás sedento de desejos.
E deslizarei para ti, também sedenta
De amor, tanta loucura e beijos.

Não verte de mim veneno algum
Pois vivo só de amor e de ternura...
Venha saciar-me, encantador perene,
Venha, que te darei toda a doçura!

(22/2/09)


Rachel dos Santos Dias

Copyright © 1999-2017 - A Garganta da Serpente
http://www.gargantadaserpente.com