A Garganta da Serpente
Adoradores de Serpentes poemas sobre ofídios
  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

Serpente

Deslizo silenciosamente...
Olho, atenta.
Paciência...
Com lentidão me aproximo
E lhe encaro;
Meus olhos nos teus, hipnotizo-te
E então dançamos juntos
És minha presa
Fascinada com minhas escamas, minhas pupilas...
Vejo seu medo, mas não há volta para nenhum de nós.
Enrosco-me em ti
E és meu...
Então unimo-nos e te absorvo
Para depois, satisfeita e lânguida,
Partir.
Sou uma serpente,
Selvagem e solitária
E apenas eu
Sou dona de mim...


Mayra Farias da Silva

Copyright © 1999-2017 - A Garganta da Serpente
http://www.gargantadaserpente.com