A Garganta da Serpente
Adoradores de Serpentes poemas sobre ofídios
  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

SERPENTE AZUL

Em meus cabelos ondulados
penteio os pensamentos serpentados
ao vento da tarde âmbar

Em tempos dos fins de maio
noite já caiu e a lua azul se desponta
trazendo misterios remotos de amor
Meus olhos inquietos te busca
já quase amanhece e fica apenas os

      segredos

guardados

    na garganta
da
    serpente


Leda Silveira

Copyright © 1999-2017 - A Garganta da Serpente
http://www.gargantadaserpente.com