A Garganta da Serpente
Adoradores de Serpentes poemas sobre ofídios
  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

Veneno de Serpente

Em meio a uma violenta tempestade
dentre os obscuros pântanos da morte
rasteja-se a serpente
carregando na mente
uma intenção ruim.
Seu veneno faz sofrer
condena a uma morte lenta
e quando os olhos se fecham
escancaram-se os portões do alêm
engolindo a alma inocente
recêm banida deste mundo.
levando junto a ela
lembranças e condenações,
lágrimas e ódio,
sombras e obseção.
E sob a lama
apodrece o cadáver
abrigando vestígios
do veneno mortal
que descansa nas veias mortas
onde o sangue não corre mais.
mais a alma ainda vive
e precisa perdoar
para que descanse em paz


Knight

Copyright © 1999-2017 - A Garganta da Serpente
http://www.gargantadaserpente.com