A Garganta da Serpente
Adoradores de Serpentes poemas sobre ofídios
  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

A serpente

Quisera ser a má digestão
obra do acaso
ou inflamável combustão
da fruta contaminada
ou semente germinada
Eva descascou a banana
Adão viu mexerica de dois gomos
ambos levaram um "puta" tombo
e um pesado fardo no lombo
responsabilizados pelos pecado mortal
retornaram a origem animal
brotos espinhosos
em traseiros fogosos
sentados em formigueiro
foram todas expectativas decompostas
promessas cobertas em trevas
no breu da noite sombria
em versos de melancolia
do lodo à areia movediça
sonhos lascivos em carniça
o alimento foi cobrado
come quem tiver plantado
a moeda podre
é paga de nobre
faltou ouro sobrou cobre
em se plantando tudo dá
mas falta transporte
e o frete é caro
acabamos mudando o norte
rezando esperando a morte


Eustáquio Mário Ribeiro Braga

Copyright © 1999-2017 - A Garganta da Serpente
http://www.gargantadaserpente.com